Esses 14 esportistas assumiram ser LGBT: confira

Temos que lembrar de uma coisa: tudo começou em 1982, quando Justin Fashanu foi considerado o primeiro jogador a disputar uma primeira divisão inglesa e a assumir a homossexualidade. Se destacava pela sua representatividades por também ser negro. O atleta era um dos mais bem pagos, com 1 milhão de libras. 

ANÚNCIO

No entanto, após ele assumir a sexualidade, o que aconteceu foi que a sua carreira afundou. Devido à pressão que sofreu na época, ele tirou a própria vida em casa. Atualmente, muitos atletas tiveram coragem para se assumirem sua preferência sexual. Veja os principais deles. 

Esses 14 esportistas assumiram ser LGBT: confira
Foto: (reprodução/internet)

14 – Cristiane Rozeira (Futebol)

Ela é uma atacante de futebol da Seleção Brasileira. Considerada uma guerreira e goleadora dentro das quatro linhas. Cristiane já passou por grandes clubes dentro e fora do seu país. Em 2016, por exemplo, se tornou a maior artilheira do futebol em Olímpiadas. 

Na internet, ela não se importa em divulgar fotos com a sua amada, em um relacionamento homossexual aberto. E diz que isso jamais foi empecilho. “Ser lésbica no esporte nunca foi problema. Sempre fui tratada com muito respeito”. 

ANÚNCIO

13 – Judith Arndt (Ciclismo)

Ela tem 44 anos e ainda não abandou o esporte. Judith é uma alemã que conquistou o bronze na provação de perseguição individual feminino em Atlanta, no ano de 1996. Ela tinha apenas 20 anos nessa época. Já em 2004, venceu o Mundial de Estrada. 

Também ficou com a prata em 2012, em Londres, no contrarrelógio individual. Inclusive, nessa edição ela ficou considerada como a primeira lésbica a receber uma medalha nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

12 – Douglas Souza (Voleibol)

O Douglas é um jogador de vôlei brasileiro que venceu as Olimpíadas de 2016. E, aos 23 anos foi considerado como o melhor ponteiro do mundial. O título mostra que é um jogador técnico de muito talento. Mas o pior é que tem sofrido muitos ataques homofóbicos. 

ANÚNCIO

Inclusive, ele publica isso nas suas redes sociais. Mesmo sendo o atacante mais eficiente do mundo, ele é caçado pelo público mais conservador. Mas, dentro de quadras, ele não se comove. Inclusive, voltou a vencer, agora no Sul-Americano de 2019.

11 – Orlando Cruz (Boxe)

Ele é um porto-riquenho de muito destaque entre as lutas internacionais. Em 2012, inclusive, foi o primeiro a assumir a sua homossexualidade. Isso enquanto combatia em várias lutas profissionais. “Sou gay com orgulho”, ele disse na época. 

Durante a carreira, ele acumulou 25 vitórias e representou o seu país em Olimpíadas. Quando assumiu a sexualidade, Cruz recebeu apoio de vários artistas, como Ricky Martin, Miguel Cotto e Sergio Martínez. 

10 – Rafaela Silva (Judô)

A judoca campeã das Olimpíadas de 2016 é outra atleta assumida. Inclusive, ela trata o assunto com bastante naturalidade. Rafaela disse que isso nunca foi obstáculo para ela. Inclusive, ela faz questão de ser ela mesmo, sempre. 

“Para mim, foi importante falar abertamente sobre a opção sexual porque sempre fui muito verdadeira. Eu sempre quis viver a vida da melhor forma possível”, ela contou. A atleta é internacionalmente conhecida pelos seus feitos no tatâme.

9 – Tom Daley (Saltos Ornamentais)

Agora temos aqui o Tom, que é do Reino Unido. Ele participou dos Jogos do Rio em 2016 e conquistou o bronze em Londres, no ano de 2012. Em 2013, ele gravou um vídeo revelador falando que era gay. 

Na época ainda citou que estava namorando o roteirista Dustin Lance Black. Depois, eles ficaram noivos. Atualmente, com 26 anos, ele é casado com o roteirista norte-americano. E em 2018 adotaram um filho que veio através de uma inseminação artificial. 

8 – Edward Gal (Hipismo)

No hipismo também já tivemos alguns casos de atletas que assumiram ser gays. Um dos mais recentes é do holandês Gal. Ele é casado com outro atleta do hipismo, o alemão Hans Peter Minderhoud. 

Gal tem medalhas de ouro em mundiais e bronze em Olimpíadas. Atualmente, ele tem 51 anos e é focado no adestramento de cavalos. Em outros anos, esse posicionamento poderia ser duramente criticado. Hoje em dia o preconceito diminuiu bastante, mas ainda existe.

7 – Diego Hypólito (Ginática)

O bicampeão do mundo pela ginástica de solo, Hypólito, é outro atleta que abriu, há bastante tempo, a sua vida pessoal ao mundo. Ele comentou sobre a sexualidade pela primeira vez em público no ano de 2019 ao falar sobre a dificuldade em manter o segredo por anos. 

O medalhista olímpico chegou a dizer que o medo de perder patrocinadores era uma das dificuldades. “Eu tinha certeza que se um dia saísse do armário publicamente perderia patrocínios e minha carreira seria prejudicada”. Ele é uma referência na ginástica brasileira. 

6 – Megan Rapinoe (Futebol)

A Megan é uma futebolista muito conhecida entre as mulheres. Ela foi considerada a melhor jogadora de futebol do mundo em 2019 e é a atual capitã dos Estados Unidos, que venceu a última Copa do Mundo. Também já levou o título de chuteira de ouro.

Esses 14 esportistas assumiram ser LGBT: confira
Fonte: (Reprodução/Internet)

Ao mesmo tempo, ela é uma das principais ativistas pela luta de igualdade de gênero, raça e liberdade sexual. Inclusive, chegou a dizer na imprensa isso. “Recebo muita energia. Para mim, ser homossexual e fabulosa é fantástico”. 

5 – Ari-Pekka Liukkkonen (Natação)

Na natação, uma representação vem do finlandês Ari-Pekka. E o que mais chama a atenção é que ele declarou sua preferência sexual durante os Jogos Olímpicos de Inverno da Rússia. E ele fez isso porque disse que o país sede dos jogos tem leis muito duras contra a homossexualidade.

“Eu sempre tinha que prestar a atenção no que eu podia dizer e no que tinha que deixar de falar. Eu quero enfatizar que isso não muda a pessoa que sou de nenhuma maneira”. 

4 – Amanda Nunes (MMA)

Outra brasileira na lista das que assumiram a sexualidade LGBT foi a brasileira Amanda Nunes, chamada de “leoa”. Ela é considerada por Dana White, o dono da UFC, como uma “imortal” dentro do esporte. E fez história a se tornar a primeira mulher a conseguir mais que 1 cinturão.

Além do mais, ela também foi uma das primeiras a assumir, publicamente, a sua sexualidade. Inclusive, ela é casada com outra lutadora de MMA, a Nina Ansaroff. Calma que tem mais brasileiras na lista.

3 – Robbie Manson (Remo)

No remo, o competidor Robbie é um exemplo de pessoa que assumiu a homossexualidade sem se importar com os preconceitos. E ele compete desde os 19 anos, sendo que revelou que chegou a guardar os sentimentos para si. Mas não achou justo.

“Eu menosprezava outras pessoas que eram gays. Eu sabia que também era e me odiava por causa disso”. Ele disse que assumiu isso tanto para o público como para a família nas vésperas dos Jogos de Londres, em 2012. “Ninguém viu problema”. 

2 – Seimone Augustus (Basquete)

O basquete norte-americano é um dos mais fortes do mundo. E ele tem uma mulher, a Seimone, que é gay. Ela é uma das jogadoras com o maior currículo da competição e foi a 1ª colocada no mundial de 2014, por exemplo, além de ter 2 ouros olímpicos

Atualmente, ela é casada com LaTaya Varner. Embora muita gente já desconfiasse de sua orientação sexual, a atleta nunca tornou isso o seu principal discurso. Afinal, se trata de uma jogadora mais reservada. 

1 – Marta (Futebol)

Se a gente citou a Megan Rapinoe como uma das referências acima, considere que a Marta também tem o seu papel de importância. Isso porque a maior artilheira de todas as Copas do Mundo e maior jogadora do mundo sempre abre bandeiras para defender as diferenças. 

A se começar pela pobreza e a sexualidade. Ela não é uma das atletas que mais divulgam a sua vida pessoal. No entanto, já chegou a aparecer na imprensa ao assumir o namoro com uma parceira americana de clube, a Toni Deion Pressley, do Orlando Pride. 

A ex-atleta medalha de ouro no Pan-Americano Caitlyn Jenner

Nessa parte final do texto, a gente vai citar outros profissionais do esporte assumidos, mas que não atuam mais em suas funções, devido a aposentadoria ou outros motivos. O primeiro nome é de Caitlyn Jenner. 

Ela tem recordes mundiais em eliminatórias para as Olímpiadas e o ouro nos Jogos de Montreal em 1976. Ela praticava o declaton e foi chamada de “a maior atleta do mundo” nos Estados Unidos. No caso, ela era Bruce e aos 66 anos passou a ser a Caitlyn

O ex-jogador de futebol alemão Thomas Hitzlsperger

Ele era um jogador de futebol alemão que se aposentou em 2013 devido a problemas físicos. Mas, dois meses depois, ele assumiu a homossexualidade. E disse isso de forma pública. 

“Declaro minha homossexualidade porque desejo que essa questão avance no mundo do esporte profissional”. Na época, antes de assumir, ele temia como isso repercutiria na carreira.

O ex-jogador de futebol norte-americano Robbie Rogers

Essa talvez seja uma das histórias mais representativas. Rogers era um norte-americano que levava a sua Seleção adiante no futebol. Porém sofreu muito preconceito. Assim, se aposentou após o fim do contrato com os Leeds e disse que o futebol não permitia gays

Mais tarde, porém, o Los Angeles Galaxy convidou o atleta para retomar as atividades em 2013. E ele permaneceu no clube até 2017. Após isso, o LA Galaxy foi um dos clubes que mais se envolveu em causas homossexuais, criando até mesmo uma camisa comemorativa. 

O ex-jogador de futebol americano do Dallas Cowboy

Ryan Russel talvez tenha sido um dos nomes masculinos que mais causaram polêmica na imprensa ao falar da sexualidade. Ele atuou entre 2016 e 2017 pelo Tampa Bay Buccaneers, que atualmente é o time do Tom Brady, o maior jogador do futebol americano. 

Ryan machucou o ombro em 2018 e ficou sem contrato com clubes da Liga Americana. Há pouco tempo ele falou, de forma pública, da sua orientação sexual ao dizer que “eu sou um jogador de futebol americano talentoso […] e um homem bissexual”.