Sepak Takraw é um dos esportes mais diferentes do mundo – Conheça-o

Para se ter uma ideia da excentricidade desse esporte, considere que ele é chamado de “futevôlei com artes marciais”. O motivo desse apelido é muito simples: os jogadores podem dar vários mortais, golpes e movimentos artísticos durante as partidas. Na bola, é claro. 

ANÚNCIO

Outra curiosidade é que a Super Serie é o campeonato mundial mais disputado desse esporte e aconteceu na Índia. Ele conta com seleções dos Estados Unidos, de Brunei, além dos sempre favoritos japoneses, tailandeses, singapurianos, indonésios, cambojanos, indianos, malaios.

Sepak Takraw é um dos esportes mais diferentes do mundo – Conheça-o
Foto: (reprodução/internet)

Um esporte popular na Ásia

Como já anunciamos acima, considere que esse é um esporte muito popular no sudeste asiático. Por isso, os países de lá são sempre referências em campeonatos. No entanto, ele é muito tradicional, já que existe há mais de 500 anos. A sua origem é em Mélaca, na Malásia. 

Assim, você pode falar em Sepak Takraw, futevôlei com artes marciais, futevôlei radical ou simplesmente takraw. O fato é que ele tem fundamentos que a maioria dos povos já conhece, que vem do futebol, do vôlei e sim, inclusive, das artes marciais. 

ANÚNCIO

Para quem ficou curioso, o nome vem da união de “sepak” que é algo próximo a “chute” e “takraw” que se define como “bola”. Ou seja, em tailandês, estamos falando sobre o chute na bola. E só de entender isso vai ficar mais fácil falar sobre o esporte. 

As regras para o Sepak Takraw

Isso porque uma das regras diz que não se pode jogar com as mãos. Afinal, chute vem de pé, não é mesmo? E entender a história do esporte também nos ajuda a entender mais das regras atuais. No começo, o esporte era praticado em um círculo e o jogador precisava passar a bola.

A ideia era simples: não deixar a bola cair no chão. No entanto, por volta de 1920, alguns jogadores introduziram uma rede no jogo. A partir disso, novas regras foram sendo criadas. E sempre com a ideia de tornar o esporte mais competitivo. Hoje, ele é composto por 2 times. 

ANÚNCIO

Assim, cada um possui 3 jogadores. E há modalidades que permitem até 4 atletas de cada lado. De todo modo, o objetivo é dar no máximo 3 toques até passar a bola para o outro lado da quadra, como no vôlei. Se a bola tocar no chão, o time faz o ponto. E não pode usar as mãos.

Os movimentos mais comuns no Sepak Takraw

Falar de movimentos é um pouco complicado nesse esporte porque se você ver as cenas vai ter uma explicação melhor disso. No entanto, dá para considerar que existem movimentos que a gente conhece porque são comuns em outros esportes.

Por exemplo, o cabeceio pode ser útil no Sepak Takraw, seja para bloquear uma bola ou atacar. Já a bicicleta e o voleio são bem comuns para o ataque. De outro lado, os passes com os pés, coxas e pernas também acontecem de forma natural nas partidas. 

Mas, o mais incrível mesmo é notar que há movimentos que são praticamente criados para esse esporte. Especialmente, aqueles que exigem uma flexibilidade do jogador. Afinal, imagina só você ter que bloquear um ataque sem usar as mãos? É um trabalho e tanto para as pernas, né.

A partida de Sepak Takraw

A partida toda tem apenas 2 sets, sendo de 21 pontos cada. Ou seja, outra proximidade com o vôlei. Se houver empate, adivinhe só: tem o terceiro set, chamado de tie break, como sabemos. Nesse caso, o último set só vai até 15 pontos. 

Essas partidas acontecem em quadras que medem o mesmo do badminton, ou seja, 13,40 metros por 6,10 metros. Já a rede fica a 1,55 metros de altura. Na hora do saque, o jogador tem que estar dentro do círculo central, chamado de server. 

Os companheiros devem ficar em círculos localizados no canto da quadra, perto da rede. Eles são os strikers. Do outro lado da quadra, o time adversário pode se posicionar como quiser, pensando sempre em receber o saque. Um deles, porém, tem que estar perto do saque.

As faltas no Sepak Takraw

Há alguns momentos e lances que podem representar faltas nesse jogo. Por exemplo, quando um dos jogadores internos faz movimentos enquanto a bola está sendo lançada para o serviço (no saque). Assim, não pode levantar o pé, pisar no círculo ou na linha central ou tocar a rede.

Também é falta quando o jogador que vai sacar não está na posição de saque em até 15 segundos após a orientação dos juízes. Já durante o serviço, se ele não chutar a bola, levar o pé do chão antes do contato com a bola ou estiver fora do círculo também há falta. 

Ah, e se ele não acertar a bola, acertando um atleta do mesmo time, por exemplo, ou quando ela não passa da rede, então, há falta também. Agora, vem a pergunta, considerando todas essas faltas, quais são as penalidades? Veremos isso no próximo tópico. 

As penalidades no Sepak Takraw

Nesse esporte existe o cartão amarelo, que é uma espécie de advertência que pode ser apresentada a um jogador de qualquer time. A ideia é a de “infração preventiva”. O cartão também pode ser dado para quem está fora da quadra, como reservas ou técnicos.

Já o cartão vermelho, que geralmente, vem após o amarelo, é para quando há alguma ofensa contra outros jogadores, companheiros de equipes ou adversários ou qualquer outra pessoa. Isso porque a ideia é manter o esporte equilibrado e saudável. 

Assim sendo, o cartão vermelho significa uma expulsão do atleta e suspensão dele para jogar qualquer torneio sancionado por aquela autoridade local. Depois da partida, uma comissão fará a análise do caso para julgar o futuro do atleta. 

A bola usada no Sepak Takraw

Até o ano de 1982, a bola do takraw era feita como rattan, que é um tipo de bambu muito comum na Ásia. Essa fibra vegetal vem da palmeira Calamos Rotang, que é oriunda da Ásia e da Oceania. Ela é bastante maleável, leve e muito resistente. É um charme. 

Mas, após isso, passou a ser produzida com tecido sintético que imita o bambu. É um tipo de plástico. Esse tipo de tecido, aliás, passou a ser usado para vários fins da indústria, como a fabricação de roupas. O tamanho dela é próximo a de handebol. 

A bola tem 12 buracos, sendo 20 interseções. Hoje em dia, os principais fabricantes dessa bola são Gajah Emas e Marathon, que são empresas que ficam na Malásia e na Tailândia. A bola tem tamanho de 0,41 a 0,43 metros e pesa até 180 gramas. 

Outras curiosidades do Sepak Takraw

Aqui entram algumas curiosidades. A bola não tem câmara de ar, por isso, ela é bem diferente da que é usada em outros esportes. Além do mais, o mesmo jogador pode tocar na bola 3 vezes antes de passar para o outro lado da quadra. É possível bloquear, com os pés. 

Já a cortada, comum no vôlei, também existe no takraw, porém, é um movimento próximo ao voleio do futebol. A diferença é que não vale a pena o jogador cair e sim continuar em pé. Por isso, esse é um movimento bem diferente do voleio do futebol que conhecemos. 

A recomendação é que todo jogador desse esporte faça ótimos alongamentos antes das partidas. O motivo é que os movimentos com as pernas costumam ser bastante intensos, seja na hora de pular, abaixar, esticar ou chutar. 

Sepak Takraw como esporte completo

Curiosamente, alguns estudos estão começando a ser feitos no mundo todo. E o que eles descobriram é que esse é um esporte muito completo. Primeiro porque trabalha com fatores sociais, como o trabalho em equipe e depois porque tem toda a parte física incluída. 

Por exemplo, ele exige muito da concentração do atleta, do foco, do condicionamento físico, da estratégia, da técnica de ataque e defesa. Sem contar que já falamos sobre alongar os músculos, se movimentar e se posicionar, certo?

É por isso que muita que a assiste aos jogos de Sepak Takraw fala que ele mistura futebol com vôlei com artes marciais e até mesmo ginástica rítmica. Afinal, os movimentos são muito peculiares e intensos. Ah, e por isso que cada time pode ter 2 reservas para entrar em quadra. 

O Sepak Takraw nos Jogos Olímpicos

Vale lembrar que atualmente esse esporte ainda não está na listagem dos jogos olímpicos. No entanto, acredita-se que isso deve ocorrer em breve devido a alguns motivos positivos. Por exemplo, o fato de ser um esporte tradicional. Porém, mais do que isso, ele tem regras regidas pela Federação Internacional de Sepak Takraw (ISTAF). 

Sem contar que está nos Jogos Asiáticos de Pequim desde 1990 e permite a competição focada no gênero feminino, tornando-o popular. O mais famoso é o Campeonato Feminino de Sepak Takraw da Tailândia, que existe desde 1997. Outra coisa que conta com ponto positivo é que hoje em dia são mais de 30 associações nacionais de Sepak Takraw no mundo, que representam o conselho governamental.