Confira a história do motocross e como ele ficou popular no Brasil

O motocross é uma das modalidades esportivas mais radicais que existem. Ela exige alto nível de concentração e oferece muita adrenalina aos competidores e à plateia. No entanto, nem todo mundo sabe sobre a origem do esporte e como ele chegou até o Brasil.

ANÚNCIO

Nos próximos tópicos, você vai conhecer mais dessa aventura do motociclismo mundial que é da linha off-road. Até mesmo porque as corridas de moto nunca mais foram as mesmas com o motocross porque no terreno há cascalhos, lama ou relva. Entenda!

Confira a história do motocross e como ele ficou popular no Brasil
Foto: (reprodução/internet)

Para facilitar a sua leitura, o texto está dividido da seguinte forma:

  • A história do motocross;
  • A chegada do motocross na América;
  • O Brasil aceita o motocross;
  • Os primeiros contatos do Motocross no país.

A história do motocross

A origem do motocross vem da Inglaterra e esse é um ponto que especialista nenhum duvida. Há bastante tempo havia uma atividade que era a de passear pelo campo andando entre árvores e pelo leito de riachos. Hoje, as competições são bem mais acirradas do que isso.

ANÚNCIO
Confira a história do motocross e como ele ficou popular no Brasil
Foto: (reprodução/internet)

Tanto é que acontece em circuitos fechados, onde os terrenos são acidentados, com buracos, inclinados e com curvas que deixaria qualquer um arrepiado. Mas, no começo não era bem assim: no início as provas tinham pontos conforme as faltas dos atletas. 

Foram os ingleses mesmos que criaram as regras mais modernas do motocross. Onde o percurso passou a ser delimitado em um circuito fechado e protegido do público. Logo, isso passou a evitar acidentes, ainda que a emoção continuou a flor da pele.

A popularização do motocross

Nos primórdios, o motocross ainda não era motocross, mas sim scramble. E foi a partir da década de 1920 que ele começou a ser conhecido em outros países, como na Holanda e na Bélgica. Aliás, foram nesses países que o esporte ganhou o seu nome atual, de motocross.

ANÚNCIO

Um passo atrás e a gente também pode ver a história do motocross a partir das máquinas que eram usadas. Sim, máquinas. Isso porque as motos vinham de uma variação das motos de turismo de série, que eram modificadas para as provas. E bem mais pesadas do que as atuais. Veja parte da evolução:

  • Aermacchi 250 cross (1960);
  • Husqvarna 400 cross (1970);
  • Yamaha YZ 250 (1975);
  • Honda CR 250 R (1988);
  • Yamaha YZ 400 F (1998);
  • Honda CRF 450 R (2002).

A partir da ideia de um piloto inglês foi possível ver a primeira moto de motocross, que era chamada de moto esportiva. Já a primeira competição internacional aconteceu na França, no ano de 1939, ainda que nesses anos o esporte ainda não era visto como internacional. 

A chegada do motocross na América

Considerando o início na Inglaterra e a popularização na Bélgica e Holanda, a gente pode acompanhar esse enredo histórico vendo que o esporte chegou na Europa com mais força nas décadas de 1950 e 1960, mais para a parte ocidental do continente.

Confira a história do motocross e como ele ficou popular no Brasil
Foto: (reprodução/internet)

Com isso, as novas competições começaram a acontecer. Nesses anos já eram corridas de motocross mais longas, de 40 minutos. E assim foi que chegou na América, mais especificamente nos Estados Unidos, já no fim da década de 1960.

A ideia veio com o Edison Dye que foi quem trouxe para cá os melhores pilotos de motocross da Europa. A partir disso, o motocross começou a ser falado no Brasil, até mesmo porque havia campeões mundiais americanos, como Torsten Hallman e Roger de Coster.

A criação do supercross

Já que falamos da chegada do esporte nos Estados Unidos vale a pena mencionar a criação de uma variante do motocross, o supercross. Só que antes disso saiba que ao longo dos anos os norte-americanos foram vencendo prêmios europeus, o que era raro de acontecer.

Em 1973, por exemplo, Jim Pomeroy se tornou o primeiro americano a ganhar o Campeonato Mundial de Motocross Grand Prix na Espanha. Bom, com isso, os norte-americanos criaram o Supercross, que é uma versão americanizada do esporte.

Nesse caso, usa-se as mesmas motos, só que as corridas são em pistas artificiais, como grandes estádios. As raias são mais curtas e há grandes saltos e obstáculos que deixa o show ainda mais emocionante. Mike Goodwin é o nome por trás do supercross. 

O Brasil aceita o motocross

Ainda falando de questões históricas que remontam o crescimento do motocross no mundo, saiba que o Brasil teve que esperar em torno de 2 décadas para receber a modalidade. O início, aliás, foi bem lento e como você sabe veio da América do Norte, dos norte-americanos.

Confira a história do motocross e como ele ficou popular no Brasil
Foto: (reprodução/internet)

Foi a partir disso que o Brasil começou a receber pilotos estrangeiros que mostravam os avanços das motos de última geração para esse tipo de competição. Atualmente, o motocross vive o seu melhor momento no Brasil e por aqui há divisões de modalidades. 

Ao invés do supercross, como tem nos Estados Unidos, a gente encontra modalidades como on-road, off-road, trail, pistas, rail e tem até o campeonato enduro, que é onde aparecem as motos mais potentes e mais resistentes de todo o esporte. 

Os nomes de Ernesto Bulk e Rubens Hermann

É impossível falar sobre a chegada do motocross no Brasil sem mencionar o nome de Ernesto Ricardo Bulk. Se você acha que não conhece, tudo bem. Mas, ele é conhecido como “Avestruz” e está ligado a toda história do motocross no nosso país.

Isso vem desde a década de 1960, nos últimos anos, quando ele tentou introduzir o conceito que já existia na Europa e nos Estados Unidos lá no Paraná. Buik é um militar reformado que trabalhava na construção de estradas e não mediu esforços para levar o esporte adiante.

E foi em 1971 que ele viu o sonho realizar. Foi Rubens Kurt Hermann que assumiu o Conselho Técnico de Motociclismo no Paraná e deu início à construção da primeira pista de motocross do país, lá em São Brás, na cidade de Curitiba. 

Os primeiros contatos do Motocross no país

A partir do esforço desses dois nomes, a gente tem a primeira modalidade que aconteceu em 1971 e atraiu mais inscritos do que era esperado. O vencedor foi Denísio Casarini, que era da Yamaha e competiu para divulgar a marca. Aliás, até 1978 somente a Yamaha venceu competições nacionais. Depois, Suzuki e Honda entraram na briga.

Confira a história do motocross e como ele ficou popular no Brasil
Foto: (reprodução/internet)

A primeira prova, que não é oficial mas entrou para a história, foi em Itanhaém, São Paulo, no ano seguinte. Ela teve 3 mil pessoas com público e a participação de 13 pilotos. Ao todo, foram 3 baterias com as duas primeiras tendo 4 voltas e a última com 6 voltas. As motos mais usadas foram:

  • Yamaha JT-1 50 cc;
  • Yamaha AT-1 125 cc.

O evento aconteceu em um morro preto da praia, ao passo que os competidores tinham que subir uma ladeira íngreme e saltar no ar passando por várias lombadas. O vencedor foi o Walter Barchi, chamado de “Tucano” que também tinha uma moto Yamaha. Atualmente, o maior nome é o de Moronguinho (Pedro Bernardo Raymundo), que tem 14 títulos nacionais.

Da chegada do motocross no Brasil até hoje

Recentemente, a gente tem um esporte consolidado no nosso país. E isso se formalizou desde 1973, quando tivemos aqui o primeiro competidor estrangeiro, que foi o Roque Colman, do Uruguai. Atualmente, ele mora no país e ainda pratica o esporte.

Já em termos globais, saiba que o último século foi bastante promissor para o esporte que teve grandes ganhos devido as novas tecnologias investidas nas motocicletas. Os pilotos estão mais seguros para competir e o show continua sendo um verdadeiro espetáculo sobre rodas. Veja alguns dos pilotos brasileiros mais conhecidos, além dos que já foram citados aqui:

  • Milton Becker;
  • Jorge Negretti;
  • Fábio Santos;
  • Carlos Campano;
  • Jetro Salazar;
  • Paulo Alberto;
  • Anthony Rodriguez.

O curioso é que mesmo entre tantas motos que foram usadas hoje é possível ver pilotos usando motos de 125 e 250 2t que ficam melhor posicionados do que aqueles que usam uma 4t. O motivo é justamente a experiência, o contato e a precisão que esse esporte exige. Isso explica por Nivanor Bernardi e André Alves são referências no nosso país.

A diferença do motocross para outros motociclismos

Para terminar o conteúdo vale a pena considerar que o motocross é um dos eventos de motociclismo mais conhecidos, mais amados e mais radicais que existem. Porém, a partir dele e de outras modalidades surgiram variações, o que deixa muita gente confusa. Veja algumas:

  • Motocross – corrida de motos na terra;
  • Supermoto – corrida de motos na terra e no asfalto;
  • Supercross – corrida de motos na terra em terreno artificial;
  • Minicross – corrida de moto na terra com motos de menor potência;
  • Motovelocidade – corrida de motos no asfalto;
  • Enduro – campeonato de moto na terra e no asfalto.

Aqui, é bem importante entender que tudo se separe a partir das vertentes do que on-road, que é no asfalto e do que off-road, que é na terra. Há opções que misturam ambas as vertentes em uma mesma prova ou competição. Por isso, a grande variedade de opções e marcas, como Kawasaki e KTM, além das já citadas no texto.