Sarah Frota perde contrato com UFC após acusação de doping

Assim como em quase tudo dentro da sociedade, o mundo esportivo possui as suas regra para condutas éticas. A mais famosa delas, sem dúvidas, é manter o funcionamento e desempenho do corpo de forma natural. Para isso, foram criadas as leis esportivas antidoping.

No entanto, mesmo com essa legislação, não é difícil encontrar por aí casos de atletas que tiveram suas carreiras manchadas por fatos assim. Recentemente, um exame apontou o uso de substâncias indevidas em uma lutadora do UFC, a brasileira Sarah Frota.

Sarah Frota
Foto: (reprodução/internet)

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura deste artigo e entenda melhor sobre o caso. Infelizmente, Sarah veio a perder o contrato que tinha com o Ultimate Fighting Championship.

Suspensão de 2 anos no UFC

A brasileira Sarah Frota não conseguiu aproveitar muito a sua passagem pelo peso mosca do UFC. Nesta semana, a lutadora brasileira de 32 anos foi punida pela Agência Antidoping dos Estados Unidos com uma suspensão de dois anos. Em uma luta, veio à tona a violação feita contra a política antidoping da franquia de lutas.

O anúncio oficial da USADA (sigla da agência em inglês) aconteceu na última terça-feira. A entidade é a responsável por realizar toda a regulamentação de substâncias que não têm seu uso permitido no Ultimate.

De acordo com a entidade regulamentadora, a punição aplicada é retroativa em relação à data em que o exame foi realizado. Ou seja, até o dia 27 de julho de 2021, Sarah Frota não poderá participar de nenhuma luta.

Exames positivos para o doping

No dia 27 de julho, Sarah Frota entrou no octógono para aquela que seria a sua última luta no UFC nos próximos 2 anos. A brasileira não esperava que um exame acusasse o uso de substâncias inapropriadas para a verificação de doping.

Apesar de o resultado da luta ter sido uma derrota contra Gillian Robertson, Frota contava com vantagem química. Na amostra de urina que Sarah forneceu à equipe de análise, foram encontrados múltiplos metabólitos de estanozol.

Esta substância é um esteroide anabolizante muito poderoso, afinal, trata-se de um derivado da testosterona. Entre as várias utilidades que ele pode ter, a mais famosa é a de crescimento muscular, o que confere uma certa vantagem no nível de força do indivíduo.

Sua estreia no Ultimate aconteceu há pouco tempo, no mês de fevereiro. A oportunidade veio após uma sequência de vitórias nas nove lutas que inauguraram sua carreira. Além disso, a brasileira também teve uma oportunidade valiosa no Contender Series Brasil.

Porém, lutando pelo UFC, o desempenho apresentado até aqui não está no mesmo nível de antes. Afinal, na duas lutas mais recentes que participou, Sarah Frota perdeu para Livinha Souza e Robertson, respectivamente.

Além da suspensão, que foi pesada por si, o Ultimate Fighting Championship também tomou uma posição firme com a lutadora. Após a aplicação da penalidade, o contrato da companhia com a lutadora foi rompido. Essa informação foi disponibilizada pelo site MMA Fighting.

A justificativa de Sarah Frota

Em suas redes sociais, a brasileira fez questão de se posicionar e dar uma explicação aos seus seguidores pelo ocorrido. Segundo a publicação, ela diz estar com a cabeça tranquila pois não fez nada de errado.

Para justificar o resultado negativo que o exame apontou, a lutadora afirma que acabou tomando um suplemento que estava contaminado pela substância encontrada. Em seu Instagram, Sarah Frota disse:

“Como alguns já devem saber, eu fui suspensa e caí no doping. Tenho minha consciência tranquila, não fiz nada de errado, mas, infelizmente, algum suplemento contaminado levou a gente a essa situação. O UFC desfez o contrato com a gente, mas a gente vai continuar lutando”