Mbappe sente orgulho dos times que se manifestaram contra racismo

O atacante do Paris St-Germain, Kylian Mbappe, disse estar orgulhoso de seus companheiros de equipe e que os jogadores do Istanbul Basaksehir saíram de campo durante a partida da Liga dos Campeões na noite de terça-feira.

ANÚNCIO

A partida foi abandonada em 0-0 depois que o quarto árbitro foi acusado de usar um termo racista para com o assistente de Basaksehir, Pierre Webo. Os jogadores ajoelharam-se no círculo central antes do recomeço na quarta-feira.

“Estamos cansados, não queremos passar por isso de novo”, disse Mbappe. O jogador também completou que “Claro, estou orgulhoso do que foi feito. Não ficamos desapontados por não jogar. Tomamos essa decisão. Ficamos orgulhosos. Muitas coisas foram ditas, mas, na verdade, não há nada melhor do que ações.”

Mbappe orgulhoso de times por se retirarem em protesto
Foto: (reprodução/internet)

Mbappe marcou duas vezes após o reinício do jogo, aos 14 minutos, e o PSG venceu por 5-1. Webo – expulso – foi autorizado a ocupar o seu lugar no banco visitante, com o cartão vermelho suspenso enquanto a Uefa investiga o incidente.

ANÚNCIO

O treinador do Basaksehir, Okan Buruk, disse: “O árbitro deveria ter lidado com a situação, mas não o fez e tínhamos de mostrar que estávamos ao lado de Webo. A decisão foi tomada pelos jogadores. Alguns queriam voltar para o relvado, mas mantivemo-nos unidos como equipe e acabou por ser uma decisão de equipe.”

Leia também: PSG vs Istanbul Basaksehir: jogo abandonado por alegações de racismo

“Mostramos ao mundo inteiro que estamos unidos”

O ala Nacer Chadli que entrou como reserva no jogo de quarta-feira, disse ao programa de futebol mundial da BBC: “Estamos em 2020 agora e esse tipo de incidente é muito doloroso para todos nós.

ANÚNCIO

“Estava muito triste, como os outros jogadores no vestiário. Isso nos magoou profundamente porque amamos o futebol e estávamos lá para jogar e aconteceu algo que não esperávamos. Estávamos conversando e às vezes era muito silencioso. Queríamos tomar uma decisão: vamos sair juntos ou se um ou dois quiserem ficar, não saímos, só temos que ficar juntos.”

Mbappe orgulhoso de times por se retirarem em protesto
Foto: (reprodução/internet)

O técnico do PSG, Thomas Tuchel, apoiou seus jogadores : “Eles tomaram uma decisão forte, ficaram com o outro time e tomaram uma decisão corajosa. No camarim, ficou claro que eles queriam mostrar essa reação.”

O meio-campista Marco Verratti acrescentou: “Foi difícil para todos – para nós em campo, para todos que assistiam ao jogo – era algo que não deveria acontecer. Marco completou que “Devemos ser exemplos, principalmente porque somos seguidos por milhões de pessoas. Foi por isso que fizemos um gesto forte e decidimos com a outra equipe, não jogar.”

Manifestação durante o hino

Um novo conjunto de autoridades assumiu o comando na quarta-feira, com o holandês Danny Makkelie nomeado árbitro. Tanto os jogadores quanto os dirigentes – que também se ajoelharam durante o hino da Liga dos Campeões – vestiram camisetas com o “não ao racismo” no aquecimento, com faixas anti-racismo nas arquibancadas.

Mbappe sente orgulho dos times que se manifestaram contra racismo
Foto: (reprodução/internet)

Quando o jogo recomeçou, Neymar estrelou o terceiro hat-trick da Champions League. Ele abriu o placar com uma noz-moscada no zagueiro e acertou em cheio, antes de finalizar um contra-ataque e acertar o terceiro em 20 metros. Mbappe marcou duas vezes, incluindo um pênalti ganho por falta sobre Neymar.

Mehmet Topal marcou o gol de Basaksehir. A vitória do PSG significa que eles lideram o grupo, à frente do RB Leipzig, que se classificou e eliminou o Manchester United com uma vitória por 3-2 sobre os ingleses na terça-feira.

Traduzido e adaptado por equipe Ao Vivo Esporte

Fonte: BBC