Senado dos EUA aprova projeto de lei para criminalizar o doping em eventos esportivos internacionais

O Senado dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei que permitirá que as autoridades norte-americanas processem qualquer pessoa envolvida em doping em eventos esportivos internacionais.

A Lei Antidopagem de Rodchenkov, em homenagem ao denunciante russo Grigory Rodchenkov, deve ser sancionada pelo presidente Donald Trump.

O chefe da Agência Antidoping dos Estados Unidos, Travis Tygart, disse que isso foi “monumental” na “luta pelo esporte limpo”. Continue lendo esse artigo para saber mais sobre esse projeto que está dando o que falar.

Senado dos EUA aprova projeto de lei para criminalizar o doping em eventos esportivos internacionais
Foto: reprodução/ internet.

Agência Mundial preocupada com as ações

Mesmo que seja uma ótima alternativa pra investir casos de doping em competições esportivas, a Agência Mundial Antidopagem (AMA) está preocupada com o projeto de lei.

A legislação, que foi aprovada no Senado sem oposição na segunda-feira após ser aprovada pela Câmara dos Representantes por unanimidade, permite que os EUA busquem processos por conspiradores de doping em competições envolvendo atletas, patrocinadores ou locutores americanos.

Tem como alvo treinadores, agentes, gerentes e oficiais em vez de atletas, que já estão cobertos pelas sanções da Wada.

Senado dos EUA aprova projeto de lei para criminalizar o doping em eventos esportivos internacionais
Foto: reprodução/ internet.

As penalidades potenciais incluem multas de até $ 1 milhão ou penas de prisão de até 10 anos

“A lei fornecerá as ferramentas necessárias para proteger os atletas limpos e responsabilizar as conspirações internacionais de doping que fraudam o esporte, patrocinadores e que prejudicam os atletas”, disse Tygart.

“É um dia monumental na luta pelo esporte limpo em todo o mundo e estamos ansiosos para ver o ato em breve se tornar lei e ajudar a mudar o jogo para atletas limpos para o bem”, reforça o chefe.

A Wada disse que apesar dos “elementos positivos” do projeto de lei, está preocupado com a possibilidade de a legislação “perturbar o arcabouço jurídico global antidoping”.

O presidente da Wada, Witold Banka, também questionou por que a lei exclui os atletas profissionais e universitários dos Estados Unidos, quando foram incluídos no projeto original. Ele disse: “Se não é bom o suficiente para os esportes americanos, por que está sendo imposto ao resto do mundo?”

Senado dos EUA aprova projeto de lei para criminalizar o doping em eventos esportivos internacionais
Foto: reprodução/ internet.

Wada também disse que teme que o projeto de lei possa impedir que denunciantes se apresentem se houver risco de processo, mas Tygart disse que a lei “protegerá os denunciantes de retaliação”.

Rússia se opõe à lei

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia se opõe a qualquer legislação dos EUA, incluindo a Lei Rodchenkov, que busca estender a jurisdição dos EUA além de suas fronteiras.

Rodchenkov, o ex-chefe do laboratório antidoping de Moscou, fugiu da Rússia no final de 2015 com evidências detalhadas do regime de doping patrocinado pelo Estado que ele vivia, o que levou à proibição da Rússia dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018.

Ele vive sob um programa de proteção a testemunhas nos Estados Unidos. O advogado de Rodchenkov disse que o projeto era “o amanhecer de um novo dia para os atletas americanos e internacionais limpos”.

Ele acrescentou: “Muito em breve, as autoridades dos EUA poderão processar os envolvidos em fraudes sistemáticas de doping. Isso será um impedimento mundial imediato”.

Traduzido e adaptado por equipe Ao Vivo Esporte

Fonte: BBC